sexta-feira, 5 de abril de 2013

ATIVIDADE SOBRE VERMINOSES - turma 201

Pesquisa sobre  verminoses. Os conteúdos abaixo foram produzidos pelos alunos. Este material servirá de apoio para que a galera preencha uma tabela resumo!!
Mãos a obra galerinha!!



BIOequipe - MOSCA


Nome do Verme: Ascaris Lumbricoides 
Filo: Nematoda 

Tamanho:15 cm e 40 cm de comprimento

Nome da Doença: Ascaridíase

Habitat:Cada larva penetra no revestimento intestinal e cai na corrente sanguínea, atingindo fígado, coração e pulmões.

Nome dos hospedeiros: são monoxênicos, possuindo o ser humano como único hospedeiro.

Transmissão:Esse verme pode ser pego de várias maneiras como por exemplo, em instalações sanitárias inadequadas. As fezes são liberadas podendo contaminar a água, o solo e consequentemente a vegetação. Assim, ao se comer o vegetal contaminado, os ovos podem chegar ao tubo digestivo. Em cada ovo desenvolve-se uma larva que perfura a parede do intestino, atingindo os vasos sanguíneos.

Sintomas:As larvas da lombriga podem trazer graves problemas respiratórios, coceira no nariz e na garganta. Já o verme quando adulto causa outras doenças como vômitos, cólicas e convulsões. Mas, quando o número de vermes é grande, leva à obstrução intestinal, podendo causar a morte. Nas crianças, às vezes, também aparecem outros sintomas como a asfixia, pois se acumulam na laringe e na faringe, durante o excesso de vômitos.

Profilaxia:Esses vermes são transmissíveis através das fezes depositadas no solo e nas águas dos rios, contaminando assim o alimento plantado naquele local. Logo, a pessoa que ingere esse alimento fica contaminada. Para evitar essa contaminação é preciso ter, principalmente: saneamento básico, condições sanitárias adequadas, pois assim as fezes não irão contaminar o meio ambiente.
Ao se alimentar, deve-se lavar muito bem os alimentos que serão ingeridos crus. As verduras cruas devem ser bem desinfetadas ou, se possível, cozidas.

Ciclo da Ascaridíase

1- A ingestão de água ou alimento (frutas e verduras) contaminados pode introduzir ovos de lombriga no tubo digestório humano.

2- No intestino delgado, cada ovo se rompe e libera uma larva.

3- Cada larva penetra no revestimento intestinal e cai na corrente sanguínea, atingindo fígado, coração e pulmões, onde sofre algumas mudanças de cutícula e aumenta de tamanho.

4- Permanece nos alvéolos pulmonares podendo causar sintomas semelhantes ao de pneumonia.

5- Ao abandonar os alvéolos passam para os brônquios, traquéia, laringe (onde provocam tosse com o movimento que executam) e faringe.

6- Em seguida, são deglutidas e atingem o intestino delgado, onde crescem e se transformam em vermes adultos.

7- Após o acasalamento, a fêmea inicia a liberação dos ovos. Cerca de 15.000 por dia. Todo esse ciclo que começou com a ingestão de ovos, até a formação de adultos, dura cerca de 2 meses.

8- Os ovos são eliminados com as fezes. Dentro de cada ovo, dotado de casca protetora, ocorre o desenvolvimento de um embrião que, após algum tempo, origina uma larva.

9- Ovos contidos nas fezes contaminam a água de consumo e os alimentos utilizados pelo homem.



FONTE: http://www.presenteparahomem.com.br/ascaridiase-transmissao-sintomas-e- prevencao-da-infestacao-pela-lombriga/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ascaris_lumbricoides

http://word.office.live.com/wv/WordView.aspx?FBsrc=http%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fdownload%2Ffile_preview.php%3Fid%3D178831998933443%26time%3D1365034965%26metadata&access_token=100000495363566%3AAVItk9wv-ew16q8NY-1CS_4qEH3whv5JmkqdXNvDUOLGrw&title=Ciclo+da+Ascarid%C3%ADase+-+biogincana.docx

http://www.papodeestudante.com/2010/07/verminoses-diferencas-entre.htm



BIOequipe -LULA


Nome do verme  - Ancylostoma brasiliensis 

Nome popular: Bicho-geográfico 

Filo  - Nematódeos 

Tamanho - Fêmea:9 a 15 cm;   &  Macho: 7 a 10 cm. 

Nome da doença   Dermatose do bicho geográfico 

Habitat (no corpo dos hospedeiros) 

Intestino de cães e gatos 

Nome dos hospedeiros  Definitivo: Cães e gatos E ACIDENTALMENTE - pele do homem 

Forma de transmissão da doença 

Infecta gatos e cachorros para se desenvolver em seus intestinos. Ele atinge essas vítimas preferenciais quando elas comem ovos ou larvas do parasita, animais já contaminados, ou ainda quando as larvas penetram através da pele.
Depois de contaminados, os bichanos eliminam os ovos deste parasita junto com suas fezes. Ovos que viram larvas, ávidas por encontrar um novo hospedeiro.
Nós não somos os hospedeiros preferidos. Mas se a gente entrar em contato com as larvas, elas perfuram e entram na nossa pele. Assim como faz nos gatos e cachorros, o parasita tenta se aprofundar para atingir outros órgãos. Mas, para nossa sorte, a pele humana é uma barreira que essa larva não consegue atravessar. 

Principais sintomas 

Coceira intensa, vermelhidão e aspecto de um mapa na pele (por onde o bicho já andou) de cor avermelhada. 

Profilaxia 

Identificação dos portadores e tratamento, proteção para os pés (uso de calçados), uso de fossas sépticas e tratamento de esgotos. 

Ciclo de vida do verme 

Estágio de ovo
Inicialmente, os ovos dos vermes passam através do trato intestinal do hospedeiro e são eliminados do corpo pelas fezes. Dentro de dois dias, os ovos eclodem no solo quente e úmido. A larva continua vivendo no solo por mais de 30 dias, esperando um contato com o hospedeiro.

Estágio larval raditiforme
Após os ovos eclodirem, as larvas crescem e trocam de pele duas vezes. Os ancilóstomos, nessa primeira fase do estágio larval, são conhecidos como larvas raditiforme. Elas vivem em fezes ou solos contaminados.

Estágio filarióide
Depois de fazerem a muda pela última vez, as larvas entram no estágio filarióide, durante o qual são consideradas contagiosas. As larvas filarióides podem viver mais de um mês no solo. Quando um hospedeiro entra em contato com o solo contaminado, elas penetram através da pele e se movem pelo sistema circulatório onde são levadas até os pulmões. Os hospedeiros podem ser definitivos, que fornecem um ambiente para o ciclo de vida completo do parasita, começando e terminando no trato intestinal ou podem ser indefinitivos, onde as larvas ficam presas na pele, incapazes de se reproduzir. Também conhecida como "erupção assustadora", as larvas não podem amadurecer e andam sem direção dentro do tecido cutâneo. Algumas acabam entrando mais fundo no tecido depois de migrarem pela pele. A transmissão para um hospedeiro mais jovem pode acontecer através das glândulas mamárias. No hospedeiro definitivo, algumas larvas saem pelos pulmões, entram nos alvéolos e viajam até a árvore traqueobrônquica. Eventualmente, o hospedeiro tosse e acaba engolindo-as. Elas passam através do trato digestivo para o intestino delgado, onde atingirão o estágio adulto.

Estágio adulto
No hospedeiro definitivo, o ancilóstomo adulto se prende à parede do intestino delgado, se alimenta de sangue e se reproduz. As fêmeas depositam os ovos no trato intestinal para repetir o ciclo de vida. As larvas adultas podem viver por mais de dois anos no intestino do hospedeiro. 



Fonte 

http://www.inf.furb.br/sias/parasita/Textos/ancilostomiases.htm 

http://www.ehow.com.br/ciclo-vida-ancylostoma-braziliense-sobre_8840/ 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ancylostoma_braziliense 

http://veja.abril.com.br/blog/estetica-saude/arquivo/bicho-geografico/ 

http://bichogeograficoo.blogspot.com.br/2011/10/hospedeiro-intermediario-e-hospedeiro.html 

http://www.tuasaude.com/sintomas-de-bicho-geografico/ 

http://www.coladaweb.com/biologia/reinos/nematelmintos



BIOequipe -OURIÇO-DO-MAR


1. Nome do verme: Taenia solium 
2. Filo: Platelmintos 

3. Classe: Cestodas

4. Tamanho: 7 metros

5. Nome da doença: Teníase e Cisticercose

6. Habitat: intestino delgado

7. Nome dos hospedeiros – intermediário e definitivo: Porco e humanos

8. Forma de transmissão da doença: Transferência direta dos ovos da T. solium das fezes de um indivíduo com teníase para a sua própria boca ou a de outras pessoas, alimentos (geralmente verduras) e água contaminada

9. Principais sintomas: náuseas, vômitos, diarréia, dor abdominal, sensação de movimento intestinal, sons e alterações do apetite

10. Profilaxia: Hábitos de higiene e saneamento básico

11. Descrição de vida do verme e esquema com desenhos:

A Taenia soluim é monóica – cada indivíduo apresenta sistemas reprodutores de ambos os sexo - e digenéticas - sempre apresentam dois hospedeiros em seu ciclo. 


A Taenia soluim apresenta duas estruturas o escólex (região em que ocorre a fixação do animal no intestino do hospedeiro) e as proglótides (o restante do corpo da tênia). Na fase adulta uma proglótide se autofecunda e fica cheia de ovos. 

As proglótides "gravidas" são liberadas juntamente com as fezes, depois de um tempo os ovos são liberados pelas proglótides e o porco ingere algum alimento contaminado com os ovos da tênia. No corpo do porco os ovos tem sua casca rompida e se transforma em um larva, que é conhecida como oncosfera. Essa larva rompe a parede do intestino e chega ao sangue onde se aloja na musculatura e se torna uma bolsa cheia de líquido, o cisticerco. 

O ser humano ao comer uma carne mal cozida está consumido os cisticerco, estes iriam se alojar no intestino e se transformar em uma tênia adulta. Em alguns casos esses cisticerco se alojam na musculatura ou no cérebro. Na musculatura causa-se poucos problemas, já no cérebro pode causar uma doença conhecida como cisticercose humana, que podem provocar convulsões semelhantes as da epilepsia.
12. Fontes utilizadas na pesquisa: mundoestranho.abril, wikepedia e biologiasemcomplicacao.blogspot



BIOequipe -SANGUESSUGA


1) Nome do verme: Wuchereria bancrofti 
2) Filo: Nematoda 

3) Tamanho: O parasito adulto tem de dois a seis centímetros, enquanto as microfilárias possuem de 0,2 a 0,3 mm.

4) Nome da doença: Elefantíase

5) Habitat: sistema circulatório e linfático do seu hospedeiro.
6) Hospedeiro definitivo: Homem; Hospedeiro intermediário: Culex - fêmea 

7) Forma de transmissão da doença: Ao picar o indivíduo, a larva presente no mosquito ou na mosca é transmitida e ela instala-se na corrente linfática, gerando os sintomas da doença. O indivíduo infectado não passa a doença para outros, mas se um mosquito o picar pode contaminar-se e contaminar outros com a sua picada, mesmo que este indivíduo ainda não tenha manifestado todos os sintomas da doença.
8) Principais sintomas: 
dor muscular;
intolerância à luz;
reações alérgicas
asma;
coceira pelo corpo;
pericardite;
linfedema dos braços, pernas, mamas ou escroto, dor de cabeça e febre elevada.

Este sintomas podem surgir de 1 mês até 10 anos após a picada do inseto.

9) Profilaxia: Proteger-se de mosquitos adequadamente (usando repelentes), campanhas públicas para exterminar os agentes transmissores.

10) Descrição do ciclo de vida:

não informaram a fonte utilizada!!



BIOequipe -LAGOSTA



Nome do verme: Schistosoma Mansoni 
Filo: Platyhelminthes 

Classe Trematoda
Tamanho: O macho em media 10mm e a fêmea 15mm 
Nome da doença: A esquistossomose ou barriga-d’àgua 
Habitat (no corpo do hospedeiro):O parasita se desenvolve e se aloja nas veias do intestino e fígado causando obstrução das mesmas.
Nome do hospedeiro:Homem 
Ovo de Schistosoma mansoni contendo larvas de míracidio
Forma de transmissão da doença: A infecção ocorre quando a pele entra em contato com água contaminada com LARVAS MIRACÍDIOS na qual vivem certos tipos de caracóis que carregam a esquistossomose. A água fica contaminada pelos ovos da Schistosoma quando pessoas infectadas urinam ou defecam nela. Os ovos eclodem e, se certos tipos de caracóis estiverem presentes na água, o parasita cresce e se desenvolve dentro deles. O parasita deixa o caracol e entra na água, onde pode sobreviver por em torno de 48 horas. Os parasitas Schistosoma LARVAS CERCÁRIAS podem penetrar na pele de pessoas que estão se banhando ou nadando na água contaminada de lagos, canais ou rios. Dentre de semanas o verme cresce dentro dos vasos sanguíneos da pessoa e produzem ovos. Alguns desses ovos viajam até a bexiga ou intestinos e são passados para a urina ou fezes. 

Principais sintomas:Os sintomas, quando aparecem, surgem aproximadamente cinco semanas após o contato com as larvas.

Na fase aguda (a mais comum), a doença se manifesta por meio de vermelhidão e coceira cutâneas, febre, fraqueza, náusea e vômito. O indivíduo pode, também, ter diarreias, alternadas ou não por constipações intestinais.

Na fase crônica, fígado e baço podem aumentar de tamanho. Hemorragias, com liberação de sangue em vômitos e fezes, e aumento do abdome (barriga-d’água) são outras manifestações possíveis.

O diagnóstico é feito via exames de fezes em três coletas, onde se verifica a presença de ovos do verme; ou por biópsia da mucosa do final do intestino. Há também como diagnosticar verificando, em amostra sanguínea, a presença de anticorpos específicos.

Profilaxia: Saneamento básico com esgotos e água tratada. Erradicação dos caramujos que são hospedeiros intermediários da doença. Proteção dos pés e pernas com botas de borracha com solado antiderrapante. Informar a população das medidas profiláticas da doença. Evitar entrar em contato com água que contenha cercárias.

Descrição do ciclo da vida do verme e esquema com desenhos: O ciclo evolutivo deste parasita passa por duas fases:
1ª fase, desenvolvimento da larva após esta penetrar em alguns tipos de moluscos que vivem em lugares úmidos;

2 fase,ocorre em seguida ao abandono desses hospedeiros, que, livres podem penetrar no homem através da pele. A penetração ocorre em lugares úmidos, como, por exemplo, córregos, lagoas, riachos, etc.

Quando este parasita começa a habitar no interior do hospedeiro definitivo, ele pode se fixar no fígado, na vesícula, no intestino ou bexiga do homem, causando, desta forma, vários problemas nos órgãos. 
Fontes utilizadas na pesquisa: 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Schistosoma
http://www.presenteparahomem.com.br/esquistossomose-doenca-causada-pelo-verme-schistosoma-mansoni/ 
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090714164343AAQr7ji 
http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos2/Esquistossomose.php 
http://www.marcasaude.com.br/pdf/parasitologia/esquistossomose_mansonica.pdf 
http://www.brasilescola.com/doencas/esquistossomose.htm 
http://www.copacabanarunners.net/esquistossomose.html




BIOequipe -ESCORPIÃO


Nome do verme: Tênia ou Solitária 
Taenia saginata
Filo: Platelmintos 
(informações incompletas confusão com a T. solium fiz as correções!!)
Classe: Cestodas
Nome da doença: Teníase 

Habitat: O habitat de ambas as espécies mais comuns de tênia adulta é o intestino delgado dos humanos infectados.

Nome dos hospedeiros: No começo do ciclo ela se hospeda na carne crua, e depois completa o ciclo no intestino humano, que é quando ela toma a forma adulta.  
DEFINITIVO - homem 
INTERMEDIÁRIO -  boi

Forma de transmissão da doença: Comendo carne crua ou mal passada contaminada de boi

Principais sintomas: Ao se alimentar da carne crua ou malpassada do animal contaminado, o homem completa o ciclo da doença. O animal se desenvolve até o estágio adulto no intestino humano e pode conferir ao portador dores de cabeça e abdominais, perda de peso, alterações do apetite, enjoos, perturbações nervosas, irritação, fadiga e insônia.

Profilaxia: Não comer carnes malpassadas.

Fontes: * Google, *Wikipédia.


BIOequipe -PLANÁRIA

*Nome do Verme: Enterobios Vermicularis 
*Filo: Nematódeos 

*Tamanho: 0,3 a 1,0 cm, 

*Nome da doença: Enterobiose e oxiurose 

*Habitat: intestino grosso, região cecal 

*Nome do hospedeiro definitivo: humanos 

*Forma de transmissão: 
heteroinfecção, quando os ovos presentes na poeira ou alimentos atingem novo hospedeiro (é também conhecida como primo-infecção); 
indireta, quando os ovos presentes na poeira ou alimentos atingem o mesmo hospedeiro que os eliminou; 
autoinfecção externa ou direta, a criança (frequentemente) ou adulto (raramente) levam ovos da região perianal à boca; autoinfecção interna, parece ser um processo raro no qual as larvas eclodiriam ainda dentro do reto e depois migrariam até o ceco, transformando-se em vermes adultos; 
retro infecção, as larvas eclodem na região perianal (externamente), penetram pelo ânus e migram pelo intestino grosso chegando até o ceco, onde se transforma em vermes adultos. 
O período de transmissão do parasita dura enquanto as fêmeas grávidas expulsam ovos na pele perianal, que permanece infectante uma a duas semanas fora do hospedeiros.

*Principais sintomas: 
Pode cursar assintomática ou apresentar, como característica principal, o prurido retal, frequentemente noturno, causando a irritabilidade, desassossego, desconforto e sono tranquilo


*Profilaxia:
O tratamento pode consistir em lavagens intestinais com água morna e/ou fármacos. A higienização do ambiente e cuidados pessoais desta natureza são fatores importantes para evitar a reinfestação do verme.

*Descrição do ciclo de vida do verme e esquema com desenhos:

Após deglutição dos ovos, as formas adultas formam-se no intestino. Aí macho e fêmea acasalam, guardando a fêmea os ovos fecundados. O macho morre após a cópula e é expulso junto com as fezes. A fêmea então migra para o cólon distal e para o recto. De noite a fêmea sai do recto passando pelo esfíncter e deposita os ovos na mucosa anal epele perianal, do lado externo do corpo, voltando depois para dentro.


Fontes:
http://www.ufrgs.br/para-site/siteantigo/imagensatlas/animalia/enterobius%20vermicularis.htm
http://www.portaleducacao.com.br/farmacia/artigos/7789/enterobiose-enterobius-vermiculares#ixzz2Oa7Ff248
http://pt.wikipedia.org/wiki/Enterob%C3%ADase
http://www.infoescola.com/doencas/oxiurose/



VALEU!!
BIOBJS - PROFE LÚ

Nenhum comentário:

Postar um comentário